domingo, 15 de fevereiro de 2015

POEMA - ERRANTE


Como poderá essa tempestade
Ajudar-me agora?
Envolvendo-me em seu abraço molhado
E gelado
Sinto-a em minha pele
Tal qual um manto
De cacos de vidro.
Cortante em meu coração
E dilacerante em minha alma
E se eu choro
As lágrimas sequer podem
Transfigurar sua beleza
E escorrem frustradas
Pela minha face
Como poderá essa ventania me ajudar agora?
Se não possui força
O bastante
Para me levar embora?
Por favor,
Leva-me daqui...

Marie Jo 11/06/2001.


Nenhum comentário: