terça-feira, 8 de abril de 2014

POEMETO PARA OCUPAR ESPAÇO III


Nas tardes quentes de verão

Luize costumava

Deitar-se no gramado

E observar o formato

Das nuvens

Brancas e serenas

Que desfilavam

Vagarosamente

Pelo céu.

Marie Jo em 01/03/2001

Poesia - DENTRO


 Ilustração de Rolf Armstrong (1889 - 1960)
Como a música

que soa em minha mente,

Minha alma balança

entre enigmas e assmbros,

Medos revelados pela ausência de caminhos

e paixões.

Flebilmente percorrem em minha visão

Esquizofrenias melodiosas

e triunfos sonoros contigos

em uma tortuosidade perene de idéias

Onde não há rumo,

e as rimas,

e a beleza

já não me servem de consolo.

O único segredo inexistente,

sonsamente se esvai por entre

as linhas de meu

pensamento,

e só o que resta é

uma música

incessante

que soa em minha

mente.

Marie Jo
em 24/10/2000