terça-feira, 20 de maio de 2014

Poesia - TENAIM



Tenaim

Ás vezes queria explicar
Que é isso que tenho no peito
Estranho sentimento que guardo no coração.
Que de tão forte e vivo,
Já é um ser que em mim habita.
Ás vezes doce
Outras, selvagem.
Cheio de amor, e por vezes, ódio.
Envolvido, por momentos, em torpor sensual.
E em outras horas, por terna candura.
Virgem, e casto, e malicioso.
Sorriso ingênuo,
Puro e libidinoso.
Por vezes desejo não te ver,
Mas te quero tomar nos braços.
E possuir,
Sugar essa seiva de juventude,
Sorver este encanto carnal.
Como um peregrino a saciar sua sede na fonte,
E renascer mesmo sem nunca ter morrido.


Marie Jo em 03 de Janeiro de 2001.

Nenhum comentário: